Acordar para a vida

19 de julho de 2012


Aqui estou eu Sue Ramaswami, mais um dia na minha adorada terra Happy Land.
Vou para o dia de aulas habitual, aprender a dançar, cantar, jogar futebol, etc. Uma vez por semana temos dia livre, não há aulas, apenas demonstramos aquilo que aprendemos ao longo do tempo.
Ao fim de semana juntamo-nos em casa de alguém para ensaiar, e depois vamos até um parque, piscina, sem preocupações, pois cá não há custos para nada. Se chover vamos ao centro comercial ou centro de atividades onde nos divertimos nos trampolins, colchões, campos de ténis, futebol...).
Cá damo-nos todos bem, vimos uma notícia sobre armas na televisão e foi uma autêntica novidade para nós! Aqui não há inveja, ciúmes, hipocrisia... Sinceramente acho que cá ninguém tem defeitos. É por isso que não há guerras nem nada parecido para estes lados!
E fome? Essa palavra não existe no nosso dicionário!
A alimentação é garantida para todos, há milhões de campos de cultivo, com alimentos para todo o ano, nas colheitas tudo é tratado e no fim distribuído por todos os habitantes.
Aqui temos todo o tipo de animais e vários de todas as espécies, nenhum está em vias de desaparecer da face da Terra, e ainda bem porque eles são lindos!
Enfim, a vida cá é perf....
Tititi Tititi!
 - Raio do despertador! - exclamo eu - Sempre a tocar quando não deve! Logo agora que o meu sonho era perfeito!
Mas bem está na hora de acordar para a vida.
 - Sue! Despacha-te! Antes de chegar à escola ainda tens de tentar arranjar comida para o pequeno-almoço - diz a mãe.
 - Está bem mãe. - digo apreensiva.
 - Óptimo! Tenho teste de matemática e vou fazê-lo com o estômago a roncar! - exclamo para mim.
Isto de viver no Afeganistão...
Um dia quando conseguir muito dinheiro, hei-de sair deste pesadelo!
Se ao menos tivesse alguma coisa que me prendesse aqui: amigos leais, algo que me entretivesse... Mas nem um cão posso ter, se vêem algum animal por aí, matam-no logo, nem que seja para o comer!
Prrr...
Credo! Começou! Só sabem fazer isto. É melhor fugir antes que me matem!
Um dia....
Prrr....

Sue foi atingida por sete balas, morreu ali, num sítio deserto.
Ao menos agora poderá descansar em paz.

_________________________________________________________________________________
E cá está um texto "lindo" da minha autoria como prometido =)
  

18 comentários:

  1. você podia escrever um livro *-*
    realmente essa história é de doer, só de imaginar que no Afeganistão existem crianças que não tem nem teto, e muitas delas já passaram por esse caso da Sue, infelizmente. Essa é a nossa realidade!

    http://larissafidell.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  2. Olá, estou a fazer um concurso de blogues, se quiseres participar e/ou divulgar este é o link:
    http://oblog-concurso.blogspot.pt/
    Obrigada!

    ResponderEliminar
  3. obrigada eu e espero que continues assim, não desistas, porque tal como tu precisas de alguém, outras pessoas iram precisar de ti e se tu não tens forças para 'mudar', muda pelas tuas pessoas (:

    ResponderEliminar
  4. Adorei o teu blog. És uma rapariga lutadora e simpática, dizes coisas tão inspiradoras!! *.* Adoreii!

    ResponderEliminar
  5. obrigada por seguires *
    e o texto está lindo !

    ResponderEliminar
  6. é triste é vê-las a ser julgadas por nada. aliás , serem julgadas por terem participado na disney

    ResponderEliminar
  7. ah, entao é compreensivel. mas ele vai repetir o 10º?

    ResponderEliminar
  8. não sou assim tão forte como pareço ser, acredita

    ResponderEliminar
  9. ah uns 3 anos que as coisas vao de mal a pior :s

    ResponderEliminar
  10. alguns desses pormenores são verdade.. são as pessoas , sabes têm aparecido pessoas na minha vida que me marcam de verdade, e depois desaparecem como se fosse um brinquedo que quando se cansam dele guardam-no num armário, escuro e assustador. Já para não falar do ódio que as pessoas têm por mim. essa frase fez-me pensar a sério

    ResponderEliminar
  11. mas neste caso todas as pessoas desapareceram ! omg , fez mesmo, e é uma frase que para mim teve todo o sentido

    ResponderEliminar
  12. a minha familia não tem uma mente muito aberta digamos assim

    ResponderEliminar